Ramadan Regras e Virtudes

Ramadan Regras e Virtudes

“Em nome de Allah, o Clemente, o Misericordioso”.

Louvado seja Allah, Senhor do Universo, que ordenou Seus servo a Jejuarem. Que a paz e a graça de Allah estejam sobre quem melhor praticou a oração e jejuou, nosso amado Profeta Muhammad, sobre seus familiares e seus nobres companheiros.

O jejum é uma adoração que carrega inúmeros benefícios para o indivíduo e para a sociedade, por isso Allah (SWT) concede e estabelece esta adoração para os crentes n’Ele e na Última de Suas Revelações, o Alcorão Sagrado. Ramadan é uma ocasião especial, uma escola onde aprendemos a elevar o nível de nossa fé, aumentamos a nossa capacidade de cumprimentos das adorações e nos firmamos na boa conduta. Estas são algumas das missões do jejum, que devem ser mantidas depois deste mês glorioso... Visando um conhecimento melhor da nossa adoração, apresentamos a seguir um resumo geral da importância e regras do jejum, rogando a Allah que nos oriente e nos faça aproveitar a ocasião do mês de Ramadan para alcançar a Sua misericórdia.

1. Definição do jejum

O jejum é abster-se do alimento, bebida e outros anulantes do jejum desde a alvorada até o por do sol, com intenção específica.

2. O incentivo e a virtude de se jejuar o mês de Ramadan

O Profeta Muhammad (S) disse: “O jejum e o Alcorão intercederão pelo crente no dia do juízo. Dirá o jejum: Senhor meu, eu o privei dos prazeres e do alimento durante o dia, por isso, permita-me interceder por ele. E dirá o Alcorão: Eu o privei do sono durante a noite. Por isso, permita-me interceder por ele. E então intercederão”. (relatado por Ahmad).

“Quem jejuar o mês de Ramadan e conhecer os seus limites e se preservar do que deve se preservar lhes serão expiados os erros que antecederam”. (relatado por Ahmed e Al Baihaqi)

“A uma pessoa que jejuar o mês de Ramadan, com fé e esperança de alcançar o beneplácito de Deus, ser-lhe-ão perdoadas as faltas”. (narrado por Al Bukhári e Musslim)

“Quando chega o mês de Ramadan abrem-se as portas do paraíso e se fecham as portas do inferno e os demônios permanecem acorrentados”. (relatado por Al Bukhari e Musslim)

“Quem quebrar o jejum de um dia do mês de Ramadan, sem razão nem doença que o permita fazê-lo, jamais poderá repor este dia mesmo que jejue a vida inteira”. (relatado por Al Bukhári)

3. A quem é obrigatório o jejum de Ramadan?

É obrigatório o jejum de Ramadan a todo muçulmano, mental e fisicamente capaz e responsável (que atingiu a idade da puberdade), exceto quem é ordenado a quebrar o jejum, como a mulher no ciclo menstrual ou no período pós – parto, ou quem lhe é permitido quebrar o jejum como o doente e o viajante. Mesmo não lhes sendo obrigatório o jejum, é aconselhável acostumar as crianças a jejuar a partir dos sete anos se forem capazes.

4. O estabelecimento do jejum como adoração

O jejum foi estabelecido no 2º dia do mês de Sha’aban (mês que antecede o Ramadan) do ano segundo após a hijrah (migração do Profeta Muhammad (S)).

O jejum é estabelecido:

* No Alcorão, disse Allah o Altíssimo: “Ó fiéis, está-vos prescrito o jejum, tal como foi prescrito a vossos antepassados, para que temais a Allah. Jejuareis determinados dias; porém quem de vós não cumprir jejum, por achar-se enfermo ou em viagem, jejuará, depois, o mesmo número de dias. Mas quem, só á custa de muito sacrifício, consegue cumpri-lo, vier a quebrá-lo, redimir-se-á, alimentando um necessitado; porém, quem se empenhar em fazer além do que for obrigatório, será melhor. Mas, se jejuardes, será preferível para vós, se quereis sabê-lo. O mês de Ramadan em que foi revelado o Alcorão, orientação para os humanos e evidencia da orientação e discernimento. Assim, quem dentre vós testemunhar o mês que o jejue, porém, quem se achar enfermo ou em viagem,jejuará, o mesmo numero de dias. Allah vos deseja a comodidade e não a dificuldade, mas cumpri o numero (de dias), e glorifica a Allah por ter-vos orientado, a fim de que (Lhe) agradeçais.” (Al-Bácara 183-185)

* Na sunnah, disse o mensageiro de Allah (S): “O Islam foi edificado sobre cinco: o testemunho que não há divindade além de Allah e que Muhammad é mensageiro de Allah; a observação do salat; a doação do zakat; o jejum de Ramadan; o hajj à casa sagrada”. (Mutafakun alaih)

E disse (S): “Quem jejuar o mês de Ramadan com fé e esperança (de receber a retribuição de Allah) lhe será perdoado o que antecedeu do seus erros”. (Mutafakun alaih)

5. O que anula o jejum

1- Todo alimento e bebida ingeridos pela boca ou outras vias do corpo. Está incluso tudo o que é ingerido por via oral, como remédio e fumo. Assim, quem se alimentar ou beber, deverá repor o dia de jejum perdido, e é seu dever se arrepender e rogar o perdão de Deus.

2- A relação sexual. Quem manter relação sexual durante um dia de jejum deverá repor o dia de jejum quebrado e também lhe é obrigatória uma expiação: libertar um escravo; na ausência ou incapacidade deste, alimentar sessenta necessitados se não puder jejuar.

3- A ejaculação sem a concretização sexual (ou através da masturbação, além de ilícito, quebra o jejum)

4- O vômito proposital

6. Atos que não anulam o jejum

1- O vômito involuntário e a ejaculação involuntária (durante o sono)

2- Quem comer ou beber por esquecimento, deve completar o jejum e seu jejum é válido. Disse o Profeta Muhammad (S): “Quem esquecer enquanto de jejum, e comer ou beber, que complete o seu jejum, pois Deus o alimentou”. (relatado por Al Bukhari, Musslim, Abu Daud e Atirmizhi)

3- É permitido colher sangue para exames ou para doação.

4- Escovar os dentes, gargarejar (na ablução), com cuidado de não engolir água. Da mesma forma, tratamento dentário tem a mesma regra, sempre sendo proibido engolir qualquer resíduo.

5- Colírio, remédios introduzidos no ouvido caso se assegure de que não engolirá nada pela garganta.

* Remédio sublingual (para problemas cardíacos, por exemplos).

* Injeções (exceto injeções que alimentam como soro e vitamina)

* O que absorvido pela pele, como gorduras e pomadas

* Anestesia (caso não acompanhe líquidos que alimentam).

Quem se alimentar depois da alvorada, pensando que ainda é noite, ou se alimentar antes do por do sol, pensando que já é noite, deve continuar o seu jejum depois de se esclarecer que errou (por respeito ao dia de jejum) e deve repor este dia após o Ramadan.

7. A quem é permitido não jejuar?

a) É permitido não jejuar, mas deverão repor o jejum:

- O doente e o viajante.

* A doença que permite não jejuar á aquela que causará mais prejuízo ao doente agravando a doença ou atrasando a sua cura. Isto deve ser conhecido por meio de um médico de confiança ou pela própria experiência.

* Quanto à viagem, a distância que permite a quebra do jejum é de no mínimo 81 km (aproximadamente). O viajante só deve quebrar o jejum quando atravessar a região habitada da cidade e iniciar realmente a sua viagem.

Fica a critério do viajante, jejuar ou não. Pode se dizer que seguir a permissão de não jejuar é melhor para quem se cansar em excesso em sua viagem. E se o jejum não lhe causar fadiga excessiva é melhor que jejue. Em todo caso, nos foi relatado: “Viajávamos com o mensageiro de Allah (S), quem jejuava não repreendia quem não jejuava e quem não jejuava não repreendia quem jejuava”. (Al Bukhari)

- A mulher grávida ou lactante, se temerem pela própria saúde ou pela saúde da criança.

- Quanto às mulheres que estejam no ciclo menstrual ou no período pós - parto, nestes casos, está vedado o jejum mesmo que queiram fazê-lo, mas deverão repor os dias de jejum perdidos.

b) Podem não jejuar e devem pagar uma expiação:

- Homens e mulheres que sejam demasiado fracos e não esperam ter condições de repor o jejum perdido.

- Doente que não tem esperanças de ser curado e repor o jejum.

Estes ficam isentos de tal dever, mas devem oferecer uma refeição a um necessitado por dia de jejum quebrado.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!